Esses são os nossos antepassados conhecidos

PEICHIN TAKAHARA.png

peichin takahara

Takahara Peichin 高原 親雲上, foi um mestre de Okinawa-Te que viveu provavelmente entre 1683 a 1760. Nascido na família Kogusuku de Kumemura, em Shuri, foi muito importante no desenvolvimento na Arte do TE que mais tarde viria a ser chamado de Karate-Do.

Se tornar um monge e desenvolveu as habilidades de astrônomo e cartógrafo. A confecção dos primeiros mapas de Okinawa  são atribuídos a ele.

Não se sabe ao certo com quem ele aprendeu a Arte do Te, porém, alguns mencionam Matsu Higa provavelmente oriundo da ilha de Hama Higa e pertencia à classe de guerreiros locais, ou seja, os "Peichin.

Provavelmente foi Takahara que introduziu no TE os primeiros conceitos de Dô  .

O que sabia no campo marcial, repassou para Satunuki Sakugawa o seu sucessor.

 SOKON MATSUMURA

Sokon Matsumura 松村宗棍 (1809-1899) Karateka austero e o mais importanrte aluno de Sakugawa. É considerado o precursor do Shorin Ryu Karate Do. Foi  um expert no manejo da espada e em equitação. Serviu como guarda pessoal e instrutor do Rei Sho Ko.

Foi um homem de grande cultura e inteligência, exímio praticante de caligrafia e estudante de disciplinas físicas e metafísicas. Sua coragem associada à perícia fez dele uma lenda marcial. Dizem que o seu olhar durante o combate aterrorizava qualquer adversário.

Os seus principais alunos foram os Anko Yasutsune Itosu de Shuri  e Yasutsune Azato de Tomari

yasutsune ITOSU

Yasutsune Itosu 安恒糸洲 (1831-1915) homem de baixa estatura e tronco largo. Media aproximadamente 1,55m. Sua notável cultura permitiu que se tornasse secretário do ultimo Rei de Ryu Kyu. Foi considerado o mais notável aluno de Matsumura. A sua contribuição para o Karate atual é incontestável. Criou Kata (formas) mais simples e a série Pin An possivelmente a sua maior contribuição para o Karate Do.

Um dos seus maiores sonhos foi realizado com a introdução do Karate como disciplina curricular das escolas secundárias de Okinawa.

Carta de Itosu  Tode Jukun (唐手十訓)

“O Caratê não se desenvolveu a partir do Budismo ou Confucionismo. No passado, as escolas Shorin-Ryu e Shorei-Ryu foram trazidas até Oquinaua da China. Ambas têm seus pontos fortes e assim irei listá-los abaixo da maneira como são, sem embelezamento:

  1. O caratê não é praticado apenas para o benefício individual, pode ser usado para proteger sua família e seu mestre. Ele não é pensado para ser utilizado apenas contra um único bandido, mas sim, como uma forma de se evitar uma briga caso se venha a ser confrontado com um vilão ou um valentão.

  2. O propósito do caratê é tornar os músculos e ossos duros como rochas e usar as mãos e pernas como lanças. Se as crianças iniciassem a treinar naturalmente nas proezas militares enquanto na escola fundamental elas ficariam aptas ao serviço militar. Lembre-se das palavras atribuídas ao Duque de Wellington depois de ter derrotado Napoleão: "A batalha de hoje foi vencida nos campos de jogo de nossas escolas".

  3. O caratê não pode ser aprendido rapidamente. Assim como um touro que se move lentamente pode viajar mil quilômetros, se alguém treinar diligentemente por uma ou duas horas todos os dias, em três ou quatro anos irá ver uma mudança no físico. Aqueles que treinarem desta maneira irão descobrir os princípios mais profundos do caratê.

  4. Em caratê, treinamento das mãos e dos pés é importante, então você deve treinar meticulosamente com makiwara. Para fazer isso, abaixe seus ombros, abra os pulmões, reúna sua força, agarre o chão com os pés e concentre sua energia no baixo abdômen. Pratique utilizando cada braço de cem a duzentas vezes por dia.

  5. Quando praticar as bases do caratê certifique-se de manter as costas eretas, ombros abaixados, colocar a força em suas pernas, manter-se firme e direcione a energia para o baixo abdômen.

  6. Pratique cada uma das técnicas do caratê repetidamente. Aprenda bem as interpretações de cada técnica e decida quando e de que maneira aplicá-las quando necessário. Entre, contra-ataque, afaste-se: é a regra para o Torite.

  7. Vós deveis decidir se o caratê é para saúde ou para auxiliar nos deveres.

  8. Quando treinar, faça como se estivesse no campo de batalha. Seus olhos devem ficar penetrantes, os ombros baixos e o corpo endurecido. Deve-se treinar sempre com intensidade e espírito como se realmente estivesse encarando o inimigo e desta forma naturalmente ficar-se-á pronto.

  9. Se usar excessivamente sua força no treinamento de caratê isso irá causar a perda de energia no baixo abdômen e será perigoso para o corpo. Os olhos e o rosto ficarão vermelhos. Ser cuidadoso para controlar o treinamento.

  10. No passado, muitos mestres de caratê gozaram uma longa vida. O caratê auxilia no desenvolvimento de ossos e músculos. Ajuda tanto na digestão quanto na circulação. Se o caratê fosse introduzido desde o ensino fundamental, então produziríamos muitos homens capazes de derrotar dez agressores cada.

YOSHIHIDE SHINZATO

Yoshihide Shinzato 新里 良英 (1927-2008). Iniciou no Karate Do durante o curso ginasial, aos 12 anos de idade com Anbum Tokuda. Ao término do ginasial, Shinzato Sensei entrou para o Dojo do renomado mestre Chibana.

Yoshihide Shinzato nasceu em Haebaru, uma pequena vila localizada no centro da ilha de Okinawa. Após completar o 1º ano do Ensino Médio na escola estadual local, foi mandado para um colégio militar em Tóquio, desejando tornar-se piloto Kamikaze. A sua baixa estatura não lhe foi favorável para a função de piloto e o encaminharam para a função de rádio-comunicador.

o seu destino estava traçado. Após o fim da guerra, ele retornava a Okinawa, para trabalhar como funcionário público nos serviços de importação e exportação da ilha. Isso durou pouco tempo porque logo surgiu a oportunidade de empreender viagem para o Brasil. Em 16 de janeiro de 1954 o navio América Maru aportava em Santos-São Paulo-Brasil e dele desembarcou Yoshihide Shinzato, na época com 27 anos de idade, com sua família e uma grande vontade de vencer. Trabalhou duro como lavrador, agricultor, carroceiro, mas foi no Karate que encontrou o seu caminho.

O seu Karate começou no período colegial com Anbun Tokuda e em seguida com o grande mestre Chibana. Depois do passamento do mestre, Shinzato Hanshi seguiu praticando com Katsuya Miyahira.

No dia 25 de janeiro de 1954, com seu irmão Yuzo, apresentou uma demonstração no Parque Ibirapuera, com os grupos de folclore de Okinawa, em comemoração ao aniversário da cidade de São Paulo.
Em 03 de junho de 1962, o grão-mestre Yoshihide Shinzato fundou a Academia Santista de Karate na Rua Brás Cubas, em Santos, e em 1970, mudou o nome dela para Associação Okinawa Shorin Ryu Karate Do Brasil. Em 1976, criou a União Shorin Ryu Karate Do Brasil, e em 1992, instituiu a International Union Shorin Ryu Karate Do Federation.
Seu método de ensino baseava-se na filosofia do Budo, no desenvolvimento esportivo e no convívio social, com o objetivo de criar indivíduos úteis tanto para a sociedade quanto para a família, um Karate-Do-ka com o corpo forte e a mente equilibrada. Sensei Shinzato agregou mais de 200 academias filiadas no Brasil e exterior.

O velho mestre deixou um grande legado, hoje comandado pelo seu primogênito Masahiro Shinzato, Hanshi 9º Dan que por sua vez tem o incondicional apoio de centenas de Yudansha e considerável grupo de Kodansha espalhados pelo Brasil e no exterior.

O Honbu Dojo situado na Av. Senador Feijó, 616 - Santos/SP/Brasil é o berço sagrado da Shinshukan para onde convergem todos os associados em busca de novos conhecimentos e atualizações, contribuindo para a unificação do estilo (Ryu), conforme era o desejo do mestre Shinzato. 

KWANG SHANG FU - kusanku

Antes de sua chegada à Okinawa, nada se sabe acerca de Kwang Shang Fu - Kusanku 公相君. Vindo da China, incumbido pelo imperador para chefiar uma delegação composta por 36 famílias que se instalariam na Vila de Kumemura nas proximidades de Naha, não imaginava que entraria para a História do Karate-Do como um dos principais pilares técnicos da modalidade.

Em solo okinawano ficou conhecido como Kusanku e a sua maestria e fama atraiu Satunuki Sakugawa, discípulo de Takahara.

Foi Takahara quem incentivou Sakugawa a procurar Kusanku e ter aulas com ele. O que Sakugawa aprendeu com Kusanku, provavelmente ficou sintetizado no Kata que criara e batizara com o seu nome como forma de homenagem. O kata Kusanku posteriormente foi ensinado a Matsumura Sokon e Anko Itosu. Este ultimo, considerado um gênio do Karate Antigo, criou uma versão menor que batizou de Kusanku Sho.

SAKUGAWA

Satunuki Sakugawa 佐久川 寛賀 (1733-1815) também conhecido como Tode Sakugawa, por muitos anos praticou com Takahara Peichin e posteriormente com Kwang Shang Fu (Kushanku). O próprio Takahara o incentivou a buscar os conhecimentos marciais com o recém chegado à Okinawa, proveniente da China. Ao término de sua missão em Okinawa, Kwang Shang Fu retornou para a China e Sakugawa o acompanhou. Em solo chinês, Sakugawa praticou métodos de luta e em 1762 retornou para a ilha onde introduziu o seu método de luta, tendo em pouco tempo adquirido grande reputação. Provavelmente foi o primeiro professor de TODE (TO = Tang) e (DE = Mãos) em Okinawa.

Sakugawa é autor do kata Kussanku, uma homenagem ao seu mestre chinês e foi o idealizador do Dojokun (lema, preceitos, regras do Dojo) o seu maior legado.

Teve vários alunos proeminentes, tais como: Chokun Makabe, Ukuda, Matsumoto, Kojo, Yamaguchi, Sakumoto, Unsume e o lendário Sokon Matsumura.

CHOSHIN CHIBANA

Chibana Choshin 知花朝信 (1885-1969)

Foi o ultimo mestre antigo e o primeiro a definir o seu estilo de Karate. Iniciou aos 13 anos sob a turtela de Itosu e seguiu praticando e ensinando intensamente até os 85 anos. Foi o braço direito de seu mestre Yasutsune Itosu e o ajudou na introdução de diversas inovações no Karate. O seu legado teve o reconhecimento das maiores autoridades do Karate okinawano, inclusive do Imperador Hiroito que o homenageou com o título de Comendador em 1968. Em 1957 recebeu o título de 10º DAN.

Em 26 de fevereiro de 1969 vem a falecer em virtude de um câncer na garganta.

Numerosos foram os seus alunos. Depois que Funakoshi foi para o Japão e houve uma grande corrida dos japoneses universitários para aprender Karate, muitos viajaram para Okinawa e buscaram os ensinamentos de Chibana.

Basicamente três alunos de Chibana são proeminentes na Escola Shorin Ryu: Yuchoku Higa (kyudokan), Shugoro Nakazato (Shorinkan) e Katsuya Miyahira (Shidokan).

Além desses três mestres podemos seguramente inserir Yoshihide Shinzato que depois do passamento de Chibana, seguiu acompanhando Katsuya Miyahira, viajou para o Brasil e estabeleceu a sua Escola Shorin Ryu Shinshukan.

KATSUYA MIYAHIRA

Katsuya Miyahira 宮 平 勝 哉 (1918-2010). Seguidor fiel de Chibana, com quem treinou desde os 15 anos de idade, Miyahira deu continuidade a obra do Mestre, presidiu a Okinawa Shorin Ryu Karate Do Kyokai até 1990 e alcançou a graduação de Hanshi , 10º Dan.

Na juventude, foi parceiro de treino de Choki Motobu para a prática de kumite.

Desde o início de sua prática no Karate Do em 1933, Miyahira traçou o seu caminho dentro dos principios morais e éticos do Budo. Em 1948  tornou-se professor de karate, em 1953 tornou-se professor da Universidade Ryukyu, em 1958 recebeu o honroso título de Kyoshi da Dai Nippon Butokukai, em 1967 ecebeu título de Hanshi 9º Dan, em 1969 tornou-se presidente da Okinawa Shorin Ryu Karate Kyokai, 1978 Recebeu a graduação máxima de Hanshi 10º Dan, em 1986 tornou-se presidente da Federação de Karate de Okinawa, cargo que manteve até 1990. Em setembro do ano 2000 o mestre Katsuya Miyahira foi considerado "Patrimônio Cultural Intangível" pela Prefeitura de Okinawa, por sua dedicação ao ensino do Karate Do.

Em 27 de novembro de 2010, com idade avançada de 92 anos e saúde debilitada, o mestre vem a falecer.